A crescente preocupação e busca pela certificação de bem-estar animal nos sistemas de produção, especialmente de  suínos, aves e bovinos, pode ser observada em diversos movimentos de empresas, consumidores e pesquisadores da área. 

Em uma revisão publicada na revista Animals recentemente, foram encontradas 4,8 mil publicações sobre o tema entre 1990 e maio de 2020, em 22 idiomas. Empresas e produtores vêm adaptando suas fazendas e instalações e até no mercado financeiro, o assunto já faz parte de indicadores para incentivar sistemas sustentáveis e proteger a reputação das instituições que compram e vendem ações. 

Entre os consumidores, a recusa por produtos que não levam em conta esses cuidados é cada vez maior. Esse cenário faz com que a busca por certificação de bem-estar animal aumente cada vez mais.    

Mas o que realmente significa bem-estar animal e para que serve uma certificação? Neste post vamos responder tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

 

O que significa bem-estar animal e qual a sua importância?

De acordo com a Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), bem-estar animal se define como “o estado físico e mental de um animal em relação às condições em que

o mesmo vive e morre”. Isso significa dizer que a criação deve permitir que ele expresse seu comportamento natural durante a vida e não seja exposto a sofrimento físico ou psicológico, sendo bem cuidado desde o nascimento até o abate. 

O zelo com bem-estar animal é de extrema importância porque, para além das motivações humanitárias de preocupação com os bichos e entendimento de que são seres sencientes, esses cuidados também se relacionam diretamente com saúde pública, segurança do alimento e desenvolvimento econômico de longo prazo. 

 

O que o animal precisa para seu bem-estar?

Para garantir o bem-estar animal dos animais de produção é necessário proporcionar diversas condições que favoreçam o seu desenvolvimento. De maneira geral, podemos citar:

  • Dieta equilibrada para uma boa nutrição;
  • Condições adequadas para alimentação, descanso e para que os animais possam se locomover durante o dia, evitando criação em gaiolas;
  • Não utilização de medicamentos, como antibióticos, com o objetivo exclusivo de facilitar/acelerar o crescimento dos animais, restringindo o uso destes produtos apenas para tratamento de doenças quando necessário;
  • Manejo com respeito, promovendo contato positivo com os animais e evitando situações desnecessárias de estresse e medo. 

Além destas orientações, cada espécie exige condições particulares para se desenvolver bem. Por isso, os produtores devem buscar informações específicas para sua criação.  

 

O que é certificação de bem-estar animal?

A certificação de bem-estar animal é um processo que envolve a adaptação da produção às normas que estabelecem as condições favoráveis de vida para os animais, e a inspeção das instalações. Ela resulta no fornecimento de um selo que poderá ser utilizado nas embalagens dos produtos certificados. 

A certificação de bem-estar animal é o caminho para empresas e produtores que querem estar alinhados com a tendência de cuidado com os animais. Ela é também a garantia para consumidores que querem comprar apenas marcas que tratam os animais de maneira digna. 

 

Por que ter um selo de bem-estar animal faz a diferença?

O selo de certificação de bem-estar animal traz vantagens para produtores e consumidores, sob os pontos de vista econômico, da qualidade do produto e da conscientização em relação aos direitos dos animais

Padrões elevados de bem-estar animal têm como resultados para a produção:

  • Melhoria do produto, com carnes de sabor, textura e aspecto melhores;
  • Redução de mortalidade de animais; 
  • Aumento na resistência dos animais a doenças, com redução no uso de medicamentos para tratamento;
  • Menor risco de zoonoses (como a Covid-19) e doenças transmitidas por alimentos. 

Esses benefícios fazem com que a produtividade e eficiência aumentem, além de trazerem também impactos positivos para a reputação da empresa. Os processos de certificação permitem a diferenciação de produtos, agregando valor e abrindo novos mercados. 

 

O que preciso fazer para conquistar o certificado?

O processo de certificação de bem-estar animal é simples e pode ser feito por empresas e produtores de todos os portes. Ele exige adaptações da criação, mas isso não significa necessariamente investimentos financeiros altos. As taxas de inspeção são proporcionais ao tamanho da produção e bastante acessíveis.  

O passo a passo para se tornar uma marca certificada é:

  1. Preparação

Essa é a fase em que o produtor precisa conhecer as normas e fazer os ajustes em suas instalações. As diretrizes para essa adaptação estão disponíveis on-line.

 

  1. Solicitação

A solicitação pode ser feita nas modalidades: operador individual; operação de produção conjunta (PPO); operação de fabricação de produtos (PMO); grupo de negociação de bovinos de corte (BMG); grupo de produtores; ou em uma combinação entre elas. 

Ao acessar o Manual de Diretrizes HFAC, na fase de preparação, você entenderá os diferentes tipos de operação e conseguirá determinar em qual categoria sua produção se encaixa. Com isso, basta entrar em contato com a HFAC por email em info@certifiedhumanebrasil.org e pedir os formulários de solicitação aplicáveis ao seu projeto. 

 

  1. Inspeção

É o momento em que um inspetor faz a verificação in loco das condições de criação dos animais. O inspetor produzirá um relatório que será submetido ao escritório do HFAC, que analisa as informações e emite uma decisão.

 

  1. Decisão

Se todas as normas de certificação do bem-estar animal forem cumpridas, a decisão da HFAC é favorável e o produtor recebe o selo para usar na fazenda e em seus produtos. Se houver poucos ajustes a serem feitos, é emitido um documento de certificação condicional às adaptações necessárias. Feitas as adaptações, a marca recebe o certificado.  

 

Faça seu comentário