Melhorar a vida dos animais criados em fazendas e granjas para a produção de alimentos é o objetivo do Programa Certified Humane. Este selo de bem-estar animal garante que as espécies foram tratadas com dignidade, sem sofrimento, sem privação de alimento ou água e ainda que puderam expressar seu comportamento natural durante todo o período produtivo. É uma ferramenta poderosa que o consumidor de produtos de origem animal tem para pressionar as mudança nas práticas de criação.

A HFAC (Humane Farm Animal Care) é uma entidade sem fins lucrativos já presente em quase 20 países e é a principal ONG (Organização Não Governamental) internacional de certificação voltada para a melhoria da vida das criações animais na produção de alimentos, do nascimento até o abate. É a criadora do maior programa de certificação de bem-estar animal do planeta e na América Latina está representada pelo Instituto Certified Humane. Por causa deste trabalho, ao identificar o selo de bem-estar animal na embalagem de um produto, você sabe que aquele produtor seguiu todas as exigências objetivas do programa. 

Para conquistar o selo de bem-estar animal, o produtor deve acessar gratuitamente os referenciais da espécie que cria, que podem ser: 

  • galinhas poedeiras
  • frangos de corte
  • perus
  • suínos
  • bovinos de leite
  • bovinos de corte
  • bisontes
  • cabras
  • ovelhas

Em seguida, deverá assegurar que o seu manejo cumpra com as exigências do respectivo referencial do selo de bem-estar animal. Além de especificar critérios detalhados sobre alimentação, água, ambiente e saúde, exige também a manutenção de diversos registros e o treinamento contínuo da sua equipe, já que o fator humano é também essencial para a garantia do bem-estar animal. 

Diferente do que se pode imaginar, o manejo humanizado não implica na existência de equipamentos caros ou a contratação de sistemas de controle, muito menos treinamentos externos. Com o entendimento das normas o produtor criativo e disciplinado consegue aplicar todos os requisitos sem depender de grandes investimentos. 

Estes referenciais são escritos e atualizados por um Comitê Científico formado por 40 especialistas de diferentes países, sendo quatro deles da América Latina. São normas com base na ciência, aplicadas já em mais de 5 mil fazendas e granjas pelo mundo, disponíveis gratuitamente, em linguagem acessível. Quem não conhece as normas da Certified Humane pode pensar que são complexas, mas está longe disso. Qualquer propriedade pode conquistar a certificação, desde que obedeça à risca as normas. 

Os ‘cadernos de normas’ foram pensados para que os animais possam ter uma vida que vale a pena ser vivida. Com saúde, sem o consumo desnecessário de antibióticos, muito menos de promotores de crescimento, sem ter que competir pelo alimento, com liberdade e em ambientes onde podem exprimir o seu comportamento natural sempre que quiserem. Vale lembrar que os referenciais foram criados para cada espécie animal, independente da região ou país em que vivem. As realidades locais podem mudar, mas o respeito com que o animal deve ser criado é um só. 

 

Pensado para o bem dos animais 

Dispensar o uso de gaiolas para a criação de galinhas e das baias de gestação coletivas para as matrizes suínas são dois exemplos que não devem ser seguidos. Assim como também é proibido debicar as galinhas ou descornar os bodes. O selo de bem-estar animal indica o respeito aos requisitos dos referenciais, que são verificados por meio de inspeções anuais que são conduzidas por especialistas em cada espécie. 

As normas de bem-estar animal são claras, mas é preciso ter consciência que a criação humanizada de animais é uma prática que exige muita atenção e dedicação em todos os processos da criação, manejo, transporte e abate de cada animal. É mais do que livrar os animais do confinamento – significa assumir um compromisso em favor do bem-estar animal e, de fato, entender que os animais são seres sencientes

A granja, fazenda ou empresa que já está certificada ou deseja ter o selo de bem-estar animal não é obrigada a contratar qualquer serviço específico, adquirir produtos de determinadas empresas ou realizar cursos. Desde 2018, iniciaram os cursos de galinhas poedeiras da certificadora e ainda serão colocados em prática outras espécies – como bovinos de leite e frangos de corte, que precisaram ser adiados devido à pandemia da COVID-19 – mas o produtor não é obrigado a cursar as aulas condicionando-as à conquista do selo de bem-estar animal. Pode fazê-lo para sua própria qualificação. O produtor ou indústria são livres para buscar conhecimento e adquirir as marcas sua preferência. 

 

Rastreabilidade e transparência

Uma garantia que o selo de bem-estar animal Certified Humane proporciona é a rastreabilidade dos produtos, pois existe a garantia de identificação da criação, segregação de ingredientes e produtos terminados produzidos de acordo com normas e protocolos específicos. Além disso, auxilia na transmissão de informação correta ao consumidor permitindo a identificação do campo ao consumidor final. Empresas processadoras de alimentos e restaurantes, por exemplo, também podem obter o selo – desde que adquiram a matéria-prima de origem animal de fornecedores certificados.

A rastreabilidade permeia todo o processo, pois deve ser observada pelas unidades de processamento, que precisam detectar os animais das granjas e fazendas durante todo o seu tempo de vida ou ingredientes certificados desde a entrada até a saída. Muitas vezes, as unidades processam produtos certificados e não certificados e, neste caso, é fundamental a garantia de segregação, inclusive para identificar a origem dos animais produtores de cada matéria-prima.

 Outro ponto de destaque é quanto custa. Muitas pessoas acreditam que certificar um produto é caro, porém, as tarifas associadas ao processo da certificação estão à disposição no site para quem desejar fazer esta comparação. Tratar os animais como se deve e ainda conquistar o selo de bem-estar animal é possível para qualquer empresa, seja pequena ou grande. Desta forma, todos ganham: o produtor, porque tem a consciência que seus animais precisam de cuidados especiais; e o consumidor, por adquirir um produto identificado por um selo com procedência.

Você pode fazer parte desse grande grupo de mais de 5000 granjas, fazendas e empresas e continuar mudando a vida de centenas de milhões de animais todos os anos. Saiba mais por que se certificar

Faça seu comentário