Bovinos de leite: Certified Humane amplia programa de certificação no Chile

A recente conquista do selo de bem-estar animal Certified Humane pela Cooperativa Agrícola y Lechera de la Unión (Colun), do Chile, representa avanços da certificação internacional para bovinos de leite na América Latina. Esta é a primeira organização certificada de acordo com as normas da HFAC (Humane Farm Animal Care) para garantir a qualidade de vida aos animais de produção de gado leiteiro em território chileno. Antes, o reconhecimento estava somente nas criações de galinhas poedeiras.

A expansão do programa Certified Humane para outras espécies no mercado chileno encontra respaldo justamente na maior cooperativa nacional de produtos lácteos do Chile. A Colun tem mais de sete décadas de atuação no ramo de bovinos de leite, conta com cerca de 2,2 mil funcionários e 730 parceiros cooperados, que juntos mantêm cerca de 110 mil vacas leiteiras e produção de aproximadamente 625 milhões de litros de leite por ano em escala nacional.

O crescimento de operações certificadas no setor de bovinos de leite também acontece em meio à busca dos consumidores por diferentes produtos com procedência comprovada de qualidade e bem-estar animal. Esse foi um dos principais motivos para que a companhia láctea iniciasse, em 2019, uma busca por alternativas em certificação de bem-estar animal e encontrasse na Certified Humane o programa necessário para reforçar a sustentabilidade do setor chileno de leite.

Com a certificação assegurada, a Colun pretende incorporar sua criação aos padrões internacionais da HFAC em blocos, o primeiro deles chegando a uma cobertura de 12% da produção leiteira. Segundo Christian Weiss K., subgerente de Insumos e Serviços da Colun, para a transição, a Cooperativa Agrícola y Lechera de la Unión e a HFAC estão trabalhando de forma conjunta e transparente com o objetivo de superar os desafios e garantir as adequações necessárias para a certificação da produção leiteira local.

Embora ainda recente, os produtores associados à Colun demonstram interesse em participar do programa de forma plena e, desde 2014, já investem em cursos e capacitação em torno de proporcionar o bem-estar animal, tendo como base o compromisso com a sustentabilidade do negócio e da própria cooperativa. A projeção da companhia é ter 100% de seus sócios certificados no médio prazo.

A certificação

A primeira empresa certificada com o selo Certified Humane para bovinos de leite na América Latina foi a brasileira Fazenda São Bento. Pode parecer complicado para quem não conhece, mas qualquer propriedade pode obter a certificação, basta seguir as normas do referencial da espécie que levam em consideração os princípios básicos de bem-estar animal.

A primeira regra para a criação dos bovinos de leite – ou qualquer outro animal – é proporcionar o acesso à água fresca e a uma dieta formulada ou avaliada para manter a saúde plena. O alimento e a água devem ser distribuídos de forma que os animais possam comer e beber sem competição desnecessária. Outro ponto é com relação ao ambiente onde o gado é mantido. Ele deve ser considerado de acordo com as suas necessidades de bem-estar e deve ser projetado para protegê-los de desconforto físico e térmico, medo e diestresse, e deve permitir que o gado desenvolva seu comportamento natural.

O cuidado com os animais é o ponto principal de todo o manejo humanizado, então o gerenciamento da fazenda precisa ser extremamente responsável. É vital para assegurar o bem-estar dos animais que os gerentes e funcionários estejam devidamente treinados e tenham habilidades com relação à criação humanizada. Todos devem ter um bom conhecimento funcional do sistema e dos bovinos de leite sob os seus cuidados. Os produtores devem desenvolver um planejamento sanitário do rebanho consultando um veterinário, assim como ter a manutenção de registros sobre o desempenho do rebanho e realizar um monitoramento constante. 

Quer saber mais sobre como adequar sua propriedade para criação dos bovinos de leite? Acesse as normas/diretrizes. 


Faça seu comentário

2020-03-16T11:55:44-03:0012/03/20|Bovinos de Leite, Certificação|

Comente