O bem-estar animal já é uma tendência mundial. Prova disso é que a nossa certificação chegou na Ásia: as granjas Toh Thye San Farms (TTS) e Chew’s Farm, de Cingapura, e Liang Kee Farming, da Malásia, conquistaram o selo de bem-estar animal Certified Humane. “Estamos percebendo que há um grande movimento de empresas comprometidas em aplicar investimentos em favor do manejo humanizado dos animais”, comenta o diretor do Instituto para a América Latina, Luiz Mazzon.

A busca dos produtores por selos de bem-estar animal para seus produtos vem ao encontro de um novo nicho de mercado, que revela um consumidor mais exigente quanto à produção da proteína animal. “O consumidor reivindica e o produtor precisa se adequar. A certificação de bem-estar animal também é uma forma de agregar valor ao produto. É uma demanda de mercado”, comenta. Atentas a esse contexto, as granjas asiáticas foram em busca do selo para diferenciar sua produção. Conheça suas operações a seguir:

TTS é pioneira no bem-estar animal em Cingapura

A Toh Thye San Farm (TTS) é uma indústria fornecedora de alimentos. Com sede em Cingapura, é detentora da Gesing Group Sdn. Bhd. (GGSB), que se dedica à produção de frangos de corte na Malásia – as granjas se destinam à produção de frangos brancos e de frangos marrons com a linhagem denominada GG French ou “Anxin”. Estes são os animais criados nas sete fazendas cuja produção foi certificada pelo programa Certified Humane.

A GGSB conta com fábrica de ração e cria cerca de 120.000 frangos de corte por mês, sendo submetida ao controle de qualidade da TTS durante toda a produção. A empresa foi em busca do selo de bem-estar animal Certified Humane para avançar nos seus padrões produtivos, conquistando certificações que os levassem para o topo de seu segmento.

Liang Kee Farming cria galinhas mais saudáveis e felizes

A Liang Kee Farming era uma granja de criação de galinhas poedeiras no sistema tradicional, com o uso de gaiolas. Mas o bem-estar animal também entrou em cena por lá. Agora, parte da produção de ovos, que gira em torno de 300 mil unidades por dia, passou a acontecer no sistema free range. Os animais, alojados em dois galpões da fazenda, são criados em liberdade e com acesso diário a uma área externa aberta por, pelo menos, 6 horas do dia, quando o clima permitir.

No início, o produtor apostou na modalidade free range para consumo próprio e para fins educacionais. Depois de vários retornos positivos, até sobre o melhor sabor dos ovos, a granja investiu no novo sistema de produção. A granja garantiu a certificação de bem-estar animal para assegurar para o consumidor um produto de melhor qualidade, independentemente da quantidade.

Chew’s Farm é precursora na produção de ovos cage free

O respeito ao meio ambiente e aos animais é um dos princípios da Chew’s Farm. A granja foi a primeira a produzir ovos a partir da criação de galinhas no sistema cage free, em Cingapura. A empresa iniciou as atividades na Malásia, há 30 anos, e desde 2014 utiliza o modelo livre de gaiolas. Sua produção é destinada a supermercados, sites de vendas como Redmart e Amazon Prime, além de redes de hotéis.

A busca pelo selo de bem-estar animal para galinhas poedeiras ocorreu para a empresa se projetar internacionalmente. Empresa familiar, a Chew’s está atenta ao cuidado com toda a cadeia produtiva, desde a reprodução, passando pela incubação dos ovos e o crescimento das aves, até a postura. São 650 mil galinhas na propriedade, sendo que 19 mil destas são criadas no sistema cage free.

Faça download do manual de normas por espécie: galinhas poedeiras e frangos de corte.  

Faça seu comentário