Será que bovinos de corte com sombra à disposição tem melhor performance produtiva do que outros animais?

Para responder a esta pergunta, a Agropastoril Paschoal Campanelli em parceria com a Empaer (Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural), lançou um projeto inovador: o confinamento experimental de bovinos de corte. Em vista do bem-estar animal, a ideia dos testes é levar conhecimento para toda a cadeia produtiva da carne.

Com base em modelos já utilizados em países como o México e a Austrália, a estrutura conta com sombras vazadas de telhas de galvalume, que se destaca pelo conforto térmico por refletir grande parte da incidência solar sobre sua superfície. A estrutura do confinamento experimental foi construída com base no conceito americano “large-pen trail”, que utiliza baias grandes.

Projeto inclui testes de água, alimento e sombra

São quatro linhas de oito baias cada, totalizando 32 baias, que comportam 50 bovinos de corte – ao final de cada linha está instalado o monitoramento eletrônico de ingestão de água e alimentos. Serão avaliados 1.700 animais; 1.600 no sistema large-pen trail e 96 no sistema Intergado, que inclui os testes de consumo do gado. O estudo compreende uma grande quantidade de bois em vista de que experimentos feitos em universidades, que incluem menos animais, têm mais chance de não funcionarem quando aplicados em escala comercial.

A ideia do confinamento experimental é contribuir com a melhora da pecuária de corte no Brasil. A partir de indicadores de desempenho específicos, o projeto resultará em informações precisas para o avanço do bem-estar na bovinocultura brasileira. Quanto à sombra, já há pesquisas que apontam uma melhor performance dos animais quando têm a opção de ficar longe do sol à disposição. E isso sem incluir nenhuma grama a mais de ração no trato dos bovinos.

O gado perde muita energia tentando controlar a sua temperatura corporal. Assim, a sombra tem impacto direto no bem-estar animal e na lucratividade da operação. Principalmente no Brasil, em que há regiões nas quais a incidência de calor é muito forte. Logo, os animais sofrem com esta questão – o confinamento experimental pretende comprovar, entre outros aspectos, que a sombra é realmente capaz de contribuir positivamente no desempenho dos bovinos de corte.

A área de confinamento experimental está em funcionamento em Barretos (SP). Serão dados, informações e estatísticas extremamente importantes para tornar a pecuária de corte mais eficiente no Brasil.

Texto produzido com informações do Giro do Boi

Faça seu comentário