Cage-free: produção respeita o bem-estar animal

Galinhas soltas para circularem livremente, expressando seus comportamentos naturais. O cage-free é, sob todos os prismas, o sistema de produção do futuro.

Criar as galinhas livres de gaiolas é imprescindível para que a produção de ovos seja sustentável.

Os incontáveis benefícios que o sistema cage-free oferece para galinhas, criadores, consumidores e para o próprio planeta não passaram despercebidos pelo mercado.

Hoje, as maiores empresas do ramo alimentício estão comprometidas em respeitar o bem-estar animal vendendo exclusivamente – desde já ou no futuro próximo – ovos livres de gaiolas.

Fique conosco até o fim do texto e entenda o porquê! 

Exigência mundial  

Se por muitos anos o mercado privilegiou o sistema “convencional” de produção de ovos em granjas com gaiolas, o sistema cage-free representa uma espécie de retorno ao método verdadeiramente tradicional de criação: permitir que as galinhas fiquem livres para ciscar, se expressar e se comportar de acordo com a espécie. 

A união de bem-estar animal, produto final aprimorado e outros múltiplos benefícios tornou o sistema cage-free mais que uma tendência – é uma verdadeira exigência mundial. Em entrevista recente à Bloomberg, o presidente da Egg Innovations, produtora de ovos sustentáveis líder no mercado norte-americano, John Brunnquell, afirmou que “os jovens adultos realmente se importam com o planeta”.

Segundo Brunnquell, “os jovens adultos estão alterando completamente a cadeia alimentar“. Prova disso é que, enquanto a venda de ovos convencionais caiu 3% no último ano nos Estados Unidos, no mesmo período a venda de ovos livres de gaiolas subiu 12% e de ovos orgânicos cresceu mais de 7%.

Segundo a USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), a porcentagem de aves criadas no sistema cage free no país subiu de 4% em 2010 para 28% em 2020. Hoje, 29,3% de todas as galinhas criadas nos Estados Unidos são cage free –  para que sejam cumpridos os compromissos assumidos pela indústria, até 2026 dois terços de todas as galinhas dos Estados Unidos devem ser cage free.

O sistema cage-free e a criação de galinhas livres de gaiolas são o futuro da produção de ovos – e no Brasil, este futuro também já está sendo traçado.

Priorizando os animais

Diversas grandes empresas brasileiras do setor de alimentos já perceberam que o respeito ao bem-estar animal e o sistema de produção cage-free chegaram para ficar. Com consumidores cada vez mais exigentes quanto ao método de produção e a qualidade do produto, estas empresas decidiram priorizar os animais para se destacarem no mercado.

É o caso do Grupo GPA, que anunciou para até 2028 o fim da comercialização de ovos de galinhas criadas em gaiolas em todas as unidades de seus supermercados (Pão de Açúcar e Extra), e da rede Carrefour, que anunciou que venderá somente ovos produzidos no sistema cage-free também até 2028.

A rede chilena de supermercados Cencosud, que possui diversas unidades pelo Brasil com bandeiras variadas, também se comprometeu a vender apenas ovos de galinhas livres de gaiolas

Já o Grupo Mantiqueira, maior produtor de ovos da América do Sul (2,3 bilhões de ovos anuais), anunciou que não investirá mais em produção com gaiolas e tornará, em cinco anos, 25% de sua produção cage-free.

Garantia para o consumidor

O manejo humanizado é uma demanda crescente do mercado mundial, com consumidores ávidos em saber onde, nem como seus alimentos foram produzidos. Com o selo Certified Humane, eles obtêm todas estas respostas.

Além de assegurar o bem-estar de seus animais, ostentar o Selo Certified Humane proporciona:

  • Posicionamento e visibilidade no mercado;
  • Credibilidade e ótima reputação;
  • Mais eficiência e produtividade;
  • Satisfação dos consumidores.

→ Conheça já tudo o que você precisa saber sobre a certificação de bem-estar animal! 

Faça seu comentário

2021-08-23T11:29:02-03:0023/08/21|Consumo|

Comente