A debicagem e o aparo de bico são termos muito utilizados na criação de galinhas. Parecem a mesma coisa, mas não são.

Ambos os procedimentos visam remover parcialmente o bico das aves para minimizar as possíveis consequências negativas em um evento de canibalismo entre as galinhas – esta conduta consiste em um comportamento anormal no qual as aves se bicam excessivamente. Quando isso ocorre ao extremo, gera lesões severas e até o sangramento dos animais. 

No caso das galinhas poedeiras, o canibalismo pode atingir diferentes tecidos, como as penas e até mesmo os ovos. A maior preocupação com o bem-estar das aves está relacionada às bicadas excessivas, que podem levar à dilaceração da pele e órgãos internos das galinhas. Bicadas fortes provocam sangramento, o que estimula os animais a bicarem ainda mais. Assim, o aparo de bico é uma alternativa para o controle deste comportamento, minimizando os seus efeitos às aves – a seguir, entenda a diferença entre este método e a debicagem para minimizar problemas de manejo na criação de galinhas no sistema livre de gaiolas

Debicagem é proibida 

A debicagem consiste no corte severo do bico das galinhas. De acordo com as normas para a obtenção do selo de bem-estar animal Certified Humane, esta prática não é permitida de modo algum. Tradicionalmente, a debicagem ainda é muito utilizada em criações convencionais de aves – normalmente é realizada em dois momentos; logo nos primeiros dias de vida dos animais e já com várias semanas de idade. 

A técnica, que é realizada com o uso de uma lâmina quente, gera dor e sofrimento aos animais devido à severidade do corte e das lesões decorrentes desta prática. Sendo assim, o método é estritamente proibido pelo nosso programa de certificação. 

Aparo de bico é permitido até os 10 dias de idade 

Alguns produtores realizam o aparo de bico das aves quando estas estão com 5 a 7 semanas, acreditando que quando o método é realizado mais cedo (menos de 10 dias de idade), é possível que o bico volte a crescer em uma maior proporção. Vale ressaltar que o aparo de bico causa dor crônica às aves quando efetuado após os 10 dias de idade. 

Por isso, o referencial de bem-estar animal da HFAC (Humane Farm Animal Care) proíbe que essa prática seja realizada em galinhas após este período. Até os 10 dias de idade, o aparo de bico é permitido como forma de minimizar os impactos das bicadas entre os animais. Alguns itens merecem atenção dos produtores:

– Somente funcionários treinados e competentes para utilizar equipamentos aprovados podem realizar o aparo de bico;

– Apenas a ponta do bico superior pode ser removida, limitando a capacidade das galinhas de cortarem o músculo de outras aves (não ficando “bico de águia”), sem interferir na capacidade de se alimentarem, bicarem o solo ou fazerem a limpeza das penas;

–  O bico inferior pode ser somente aparado, sem que partes sejam removidas para evitar a distorção na forma do bico quando ficarem mais velhas. 

Vale dizer que a propensão ao comportamento de bicagem entre as galinhas se reduz drasticamente em granjas onde os animais têm acesso ao enriquecimento ambiental e a ninhos e poleiros nas proporções exigidas pelo programa Certified Humane. Além disso, um bom manejo de ambiência, incluindo uma cama de qualidade para as aves se espojarem, manejo nutricional adequado e uma relação positiva de interação entre o manejador e as aves também fazem a diferença. Por isso, é importante que o produtor tenha em mente que o comportamento das aves responde positivamente a melhores condições do ambiente em que vivem. 

Aparo de bico passa por avaliação

O Instituto Certified Humane avalia o aparo de bico das galinhas no momento da inspeção. O procedimento analisa as condições do bico de 20 galinhas por alojamento na produção e o inspetor calcula uma pontuação média de acordo com o manual de criação de aves. A partir da pontuação, o produtor é orientado a tomar medidas (ou não) na questão do aparo de bico das aves. 

Veja abaixo a avaliação* (escore) de aparo de bico para aves de penas marrons:

Debicagem x aparo de bico: Aves de penas marrons

* Para o produtor pontuar nas classificações 1, 2 ou 3, todos os critérios listados devem ser atendidos. Pontuações a partir de 2,25 não são aceitáveis para atender às normas de bem-estar animal. Pontuações que atingirem 3, 4 ou 5 necessitam de ação corretiva imediata urgente com os responsáveis pelo aparo de bico. Apenas um dos critérios listados é o suficiente para pontuar nos níveis 4 ou 5, que demandam correções instantâneas. 

Veja abaixo a avaliação* (escore) de aparo de bico para aves de penas brancas:

Debicagem x aparo de bico: Aves de penas brancas

*Pontuações a partir de 2,25 não são aceitáveis para atender às normas de bem-estar animal. Pontuações que atingirem 3, 4 ou 5 necessitam de ação corretiva imediata urgente com os responsáveis pelo aparo de bico.

Saiba mais sobre a debicagem e o aparo de bico de galinhas acessando o manual completo para a criação de galinhas poedeiras segundo as normas da HFAC.

Faça seu comentário