Bem-estar animal nos aviários: qual a temperatura ideal para galinhas poedeiras?

Assim como outras espécies possuem suas próprias exigências particulares, a criação de aves requer atenção com uma série de cuidados – o que inclui a conservação dos alojamentos na temperatura ideal para galinhas poedeiras.

Controlando a ventilação e a temperatura do ambiente, o produtor assegura não só o bem-estar das aves como também a produtividade e a qualidade do produto final. Isso porque, quando estão em local com a temperatura fora da faixa da zona de conforto térmico, as galinhas poedeiras alteram o próprio comportamento e o metabolismo para perder ou manter calor – um processo que pode afetar até a qualidade dos ovos, especialmente em condições de calor excessivo. 

Temperatura ideal para as aves

Como animais de sangue quente, as galinhas poedeiras costumam manter a própria temperatura dentro de certos limites: quando são saudáveis, estas aves apresentam uma temperatura corporal interna entre 40°C e 42°C. Assim, para que o calor de seus corpos seja mantido nesta faixa, a temperatura ambiente do local de criação precisa estar dentro da chamada “zona térmica neutra”.

A zona térmica neutra corresponde a uma faixa da temperatura ambiente (seja ela nos piquetes ou no galpão) em que as galinhas poedeiras conseguem manter a temperatura corporal sem modificar o metabolismo para se protegerem do frio ou do calor – uma faixa que vai dos 18°C aos 24°C e que é considerada a temperatura ideal para galinhas poedeiras. Além da temperatura, deve-se dar atenção a umidade relativa do ar, a qual idealmente precisa estar entre 40-70% .

É importante ressaltar que, como ainda não desenvolveram seus mecanismos reguladores de temperatura corporal, as aves recém-nascidas precisam de uma temperatura ambiente mais elevada ao longo das primeiras semanas de vida.  

Ovo prejudicado

Quando a temperatura ambiental está abaixo da zona térmica neutra, as galinhas poedeiras possuem alguns meios para evitar a perda excessiva de calor: penas com efeito isolante, uso da gordura subcutânea, aumento do fluxo sanguíneo, e agrupamento.

Quando a temperatura no local é de 25°C ou mais, entretanto, elas correm o risco de sofrer estresse calórico  – uma condição ainda pior quando a umidade no ambiente está elevada – acima de 70%. O estresse por calor ocorre quando as galinhas poedeiras não conseguem se manter frescas e suas temperaturas corporais sobem acima dos 42,5°C. Aos extremos pode resultar na sua morte.

O calor excessivo leva as aves a um estado de ofegação, hiperventilação e perda de CO2, aumentando o pH do sangue e conduzindo a um processo que diminui a concentração de cálcio e de fósforo. Com menos cálcio e fósforo à disposição no organismo das aves, a formação da casca do ovo é diretamente prejudicada.

As cinco maneiras das galinhas poedeiras se manterem na zona de conforto térmico

Como não possuem glândulas sudoríparas, as galinhas poedeiras não suam ou perdem calor por transpiração. Para regular a temperatura corporal, as aves usam uma parte do cérebro chamada hipotálamo: é ele quem, como um termostato, age sobre a velocidade da respiração e a contração/dilatação dos vasos sanguíneos para equilibrar a temperatura.

Assim, apesar de não transpirar as galinhas poedeiras possuem cinco outras maneiras de perder calor – conheça-as abaixo:

1.Radiação Emitindo ondas eletromagnéticas, as aves transferem o calor corporal para os objetos ou superfícies, mais frios do ambiente (teto, parede, equipamentos, etc.); o sol é fonte de calor por essas mesmas ondas.

2.Condução Entrando em contato direto com um objeto de temperatura mais fria ou mais quente (piso, camas), as aves transferem parte do seu calor corporal;

3.Convecção Com um movimento de abrir as asas, as afastando do corpo, a superfície de contato com o ar é ampliado e as galinhas poedeiras reduzem o calor corporal pela circulação de ar frio;

4.Evaporação As aves respiram de forma mais rápida e superficial, com o bico aberto e movendo a garganta, para favorecer a evaporação da umidade interna do corpo que ajuda na perda de calor – quanto menor a umidade do ar no ambiente, mais eficiente é a evaporação;

5.Vasodilatação As aves conseguem enviar o calor que está no interior do corpo, como dos órgãos aumentando o fluxo de sangue nas cristas e barbelas, fazendo com o que o calor se dissipe mais facilmente.

Dicas para não estressar as aves

Manter o alojamento dentro da faixa de temperatura ideal para galinhas poedeiras é essencial para evitar o estresse térmico – mas há também outros jeitos práticos de evitar o estresse. Confira algumas dicas:

Quando são necessários procedimentos como seleção, transferência ou vacinação, realize-os no início da manhã, ou seja, nas horas mais frescas do dia.
Nos dias e horários de mais calor, faça o transporte com menos aves em cada caixa e distribua caixas vazias no caminhão para aumentar a ventilação;
Não perturbe as aves durante o período mais quente do dia. As aves quando ficam agitadas, produzem mais calor corporal.
Os alojamentos devem possuir a densidade correta para garantir a eficácia da ventilação e nunca utilize gaiolas, que aumentam o estresse térmico. O referencial HFAC apresenta indicações de densidades conforme o sistema de criação das aves adotado!

Para conhecer essa e outras exigências para a criação de galinhas poedeiras com bem estar-animal, baixe este guia gratuito!

Faça seu comentário

2021-08-11T15:15:23-03:0011/08/21|Galinhas Poedeiras|

Comente