Bem-estar dos suínos: entenda quais são as consequências da claudicação

Dores e dificuldade de locomoção que afetam a procura por alimentos e água, prejudicam a absorção de nutrientes, a saúde e até a capacidade reprodutiva dos animais – e resultam em sérios prejuízos ao suinocultor. Estas são algumas das consequências da claudicação, uma das grandes ameaças ao bem-estar dos suínos.

Como animais complexos e requerentes de cuidados específicos que são, os suínos devem ser criados em ambientes adequados à espécie e receber uma alimentação igualmente compatível. Quando tais precauções não são dadas no manejo rotineiro da granja, a claudicação é um dos problemas de saúde de maior frequência nas criações de suínos.

Siga conosco para saber melhor o que é e entender quais são as consequências da claudicação!

O que é a claudicação?

A claudicação é o termo técnico para a popular “manqueira”, condição geralmente causada por problemas circulatórios que dificulta o ato de caminhar e que pode acometer animais de diferentes espécies, inclusive humanos.

Mas os suínos são especialmente afetados pela claudicação – resultado do modelo industrializado de criação que confina os animais a espaços exíguos e com o piso de concreto, por vezes sem uma drenagem e manutenção adequada para assegurar o conforto da espécie.

Os cascos nas patas dos suínos são biologicamente adaptados para caminhar em pisos firmes e livres de saliências, rugosidades ou que sejam úmidos ou lisos em excesso. A criação industrial, por outro lado, muitas vezes desconsidera essa premissa e cria os suínos em pisos de concreto, plástico e até metal.

Como resultado, são frequentes as lesões nos cascos dos animais: desgaste, rachaduras, lesões na linha branca, erosão da almofada plantar, etc. Com dor e dificuldade para caminhar, os suínos podem sofrer – entre outras – as seguintes consequências da claudicação:

  • Mudança de comportamento e redução na interação social;
  • Alteração nos hábitos alimentares e perda de peso;
  • Dificuldade para se levantar e insistência em permanecer deitado;
  • Liberação de hormônios do estresse que prejudica o sistema de defesa do animal;
  • Aumento da ocorrência de problemas urinários e infecções;
  • Aumento no sacrifício de animais – cerca de 25% dos suínos abatidos antes de atingirem o peso ideal sofrem de claudicação;
  • Dificuldade para reproduzir e aumento da taxa de mortalidade de fetos e leitões.

Efeitos da claudicação nas matrizes suínas

As fêmeas férteis são ainda mais afetadas pela claudicação: segundo estimativas do IBGE, 60% das matrizes suínas do Brasil – praticamente três milhões de animais –  sofrem de claudicação. Em todo o mundo, a porcentagem é de 30%.

Calcula-se que, para o suinocultor, o custo adicional imposto por cada matriz suína sofrendo de claudicação supere os R$ 200.

A claudicação não só é responsável por boa parte dos descartes de matrizes suínas, como também afeta a saúde e o desenvolvimento dos próprios leitões. Confira abaixo quais são, para os leitões, as consequências da claudicação em matrizes suínas:

Como garantir o bem-estar dos suínos?

Ainda que o piso inadequado seja a maior causa das ocorrências de claudicação em suínos, apenas trocá-lo não é a solução determinante. Uma série de outros fatores precisam ser observados para assegurar que o bem-estar dos animais está sendo respeitado – o que evita, inclusive, maiores prejuízos financeiros ao criador.

Veja os principais cuidados que devem ser tomados para evitar a claudicação:

  • Criá-los em um ambiente adequado e bem drenado para comportar todos os animais e enriquecido com elementos como feno, serragem, etc.;
  • Proporcionar um piso que não é rugoso, com abrasividade excessiva ou que se deforma com o tempo – atenção à manutenção das instalações;
  • Garantir a limpeza do ambiente de criação para impedir a proliferação de bactérias e parasitas;
  • Oferecer alimentação balanceada com todas as vitaminas e minerais que precisam;
  • Proporcionar o espaço e as condições para que possam ter o comportamento natural da espécie: caminhar, fuçar, chafurdar na lama, etc.

Buscar a certificação de bem-estar animal do Instituto Certified Humane é a melhor maneira de atender a todas essas exigências e assegurar o bem-estar dos suínos.

Guiadas pelo padrão de exigência da organização internacional Humane Farm Animal Care, as normas do programa Certified Humane incluem as necessidades específicas que cada tipo de suíno – adultos, fêmeas e leitões – exige para viver com bem-estar e beneficiar a própria produção e a qualidade do produto final.

Conheça as exigências para garantir o bem-estar dos suínos!

Faça seu comentário

2021-10-25T11:53:04-03:0025/10/21|Suínos|

Comente