Nos últimos dez anos foram registrados mais de 35 mil eventos de trânsito com animais na rodovia Anhanguera.

Foram quase 10 ocorrências por dia, segundo dados obtidos no trabalho de mestrado do capitão da Polícia Militar Rodoviária, Jivago Moretto Pedra, pós-graduando do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da USP (Universidade de São Paulo). 

O alto número de episódios, que podem até ocasionar a morte de seres humanos nos casos mais graves, motivou a criação da PURAA – Plataforma Unificada para Responder aos Acidentes de Trânsito Envolvendo Animais em Rodovias. A PURAA é coordenada em São Paulo pelo capitão da Polícia Rodoviária Militar, Marcelo Estevão de Oliveira.

O projeto, que teve início em 2017 – lançado no Encontro Nacional de Defesa Sanitária Animal e Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária, em Belém (PA) – foi desenvolvido por pesquisadores da USP em parceria com a Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo, a Concessionária Intervias, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

A ideia e integração das diversas instituições é inédita e conta com a coordenação do professor Adroaldo José Zanella, referência internacional no estudo do bem-estar animal e membro do Comitê Científico da Certified Humane. O projeto conta com os POPs (Procedimentos Operacionais Padrão) para o atendimento de acidentes de trânsito com animais e fiscalização de transporte – estes protocolos estão alinhados com as legislações nacionais vigentes de bem-estar e saúde animal e serão modelos a serem implantados em todo o país. “Em fevereiro, aconteceu a primeira reunião para o lançamento dos POPs. Durante o ano, foi preparado o conteúdo para o treinamento de toda a equipe envolvida no projeto”, explica Adroaldo.

Treinamento teórico e simulação 

Nos dias 21 e 22 de novembro foi realizado treinamento de cinco batalhões da Polícia Militar Rodoviária de SP, através de teoria e participação de simulações de possíveis ocorrências de acidentes envolvendo animais. Segundo Adroaldo, os participantes vivenciaram quatro etapas: na primeira, verificaram como inspecionar a documentação, a carga viva, duração da viagem e como abordar o motorista. Na segunda, foi simulado o tombamento de um caminhão com carga viva e os policiais foram orientados sobre como proceder para retirá-los nestas situações. Já na terceira estação, foram repassadas estratégias para o manejo no caso de animais soltos na pista. Por fim, na quarta, os policiais foram orientados sobre a necessidade de eutanásia e como lidar em acidentes com animais silvestres e domésticos. O treinamento foi realizado com bovinos e suínos, mas os POPs podem ser aplicados para todos os animais. 

Agora, os profissionais treinados irão disseminar o conhecimento adquirido com os colegas. “A partir de fevereiro, os caminhões com cargas de transporte de animais que irão percorrer o estado de São Paulo serão inspecionadas amplamente, inclusive a velocidade e como são dirigidos através da análise dos tacógrafos. A PURAA é um projeto inovador, nunca realizado em nenhum lugar do mundo”, comenta. Para Adroaldo, “o propósito é garantir o bem-estar único e a proteção dos animais, a segurança de todos nas rodovias e a diminuição dos acidentes de trânsito com animais através da fiscalização”, finaliza. 

Faça seu comentário