Fonte: Marcela Caetano/DCI – 

 

A granja Mantiqueira, uma das maiores produtoras de ovos do País, será certificada para produção no sistema “cage free”, ou seja, com galinhas poedeiras criadas sem gaiolas.

A empresa, que deve produzir 2 bilhões de ovos em 2017, será a segunda no Brasil a obter o certificado da Certified Humane Brasil, entidade que assegura que a produção segue regras de bem estar animal. “No Brasil esse ainda é um mercado em desenvolvimento, mas estamos prontos para atender a demanda”, afirma o diretor de operações da granja Mantiqueira, Matheus Avelar.

A empresa firmou parceria com um avicultor de Paraíba do Sul, no Rio de Janeiro, que deverá produzir dez mil ovos por mês para as marcas Happy Eggs, da Mantiqueira, e Taeq, da rede de supermercados Pão de Açúcar.

Capa DCI 24.08 - Mantiqueira cage freeOs produtos têm um custo de entre 40% e 50% maior que o sistema tradicional, com as galinhas poedeiras em gaiolas. O preço ao consumidor é maior nesta mesma proporção “Nosso desejo é que não exista diferença para que o preço não seja um limitador para o consumo”, afirmou.

Ele observa que o negócio segue o posicionamento de redes como o Giraffas, Burguer King e McDonald´s, que anunciaram a intenção de deixar de adquirir ovos de galinhas criadas em gaiolas na próxima década. “Esse sistema está crescendo muito pela pressão das empresas”, diz o presidente do Instituto Certified Humane Brasil, Luiz Mazzon.

Para ter a produção certificada, a propriedade deve observar regras sobre o número de poleiros, espaço entre os animais nos galpões, iluminação, ventilação e ambiente. No sistema ‘sem gaiola’ não é exigido acesso à área externa do galpão nem é restrito o uso de transgênicos na alimentação, embora seja proibido o uso de antibióticos.

“O foco é no bem estar animal e o maior benefício é a qualidade de vida da própria ave”, define Mazzon. O processo de certificação da produção pode custar entre R$ 3 mil e R$ 16 mil ao ano, conforme o tamanho da propriedade.

Pioneira

A Korin foi a primeira empresa a ter esse sistema certificado no Brasil e tem 80% dos animais com acesso à área externa e o restante criado em galpões. A empresa produz 80 mil ovos por dia em parceria com quatro produtores.

“Nosso foco sempre foi o consumidor” diz o diretor industrial da Korin, Luiz Carlos Demattê Filho. “Mas estamos projetando uma expansão para atender restaurantes e indústrias”, acrescenta ele.

 

 

Faça seu comentário