Bob’s e Pizza Hut anunciaram que somente vão comprar ovos de fornecedores que garantam o bem-estar das galinhas poedeiras. As empresas estabeleceram uma meta para até 2025.

O ano de 2016 terminou com uma boa notícia para os consumidores preocupados com o bem-estar Galinhas poedeirasanimal. Em dezembro, um dos maiores grupos de fast-food do país se comprometeu a comprar ovos apenas de fornecedores que não submetam as galinhas poedeiras a confinamento, de modo que elas possam expressar  nos aviários o comportamento natural da espécie. O anúncio foi feito pouco antes do Natal pela Brazil Fast-Food Corporation. Embora muitas pessoas possam não reconhecer o nome, a empresa é dona de marcas para lá de famosas no Brasil, como as redes Bob’s, Pizza Hut, KFC, Yoggi e Doggis.

No total, a  BFFC tem mais de 1.250 restaurantes e fatura cerca de 1,5 bilhão de reais no país. Em seu comunicado ao mercado, a empresa estabeleceu uma meta: até 2025, 100% dos ovos utilizados como ingredientes nas cozinhas dos restaurantes que levam suas marcas terão de ser produzidos por fornecedores que garantam criar galinhas poedeiras sem submetê-las a confinamento.

Essa garantia pode ser oferecida pela principal organização internacional sem fins lucrativos de certificação de bem-estar animal, a Humane Farm Animal Care (HFAC), representada na América do Sul pelo Instituto Certified Humane Brasil. O selo Certified Humane® garante que o alimento é oriundo de produtores que atendem exigências objetivas de bem-estar animal.

Nos Estados Unidos, a Starbucks avança nas garantias ao bem-estar dos frangos de corte

Esse é mais um exemplo de como as grandes empresas da cadeia da alimentação estão se movimentando para eliminar do cardápio ingredientes que não tenham sido produzidos de acordo com as boas práticas de bem-estar animal. No fundo, trata-se de atender uma exigência crescente entre os consumidores.

Prova disso é que a dona do Bob’s não está sozinha ao seguir essa tendência. Nos Estados Unidos, a Starbucks — uma das principais redes de cafeterias do planeta — também anunciou em dezembro de 2016 avanços no seu programa de bem-estar animal. A empresa assumiu o compromisso de trabalhar para que até 2024 toda a carne de frango utilizada como ingrediente nos produtos vendidos em suas lojas no mercado americano sejam produzidos de acordo com boas práticas de bem-estar animal. Para isso, a empresa vai trabalhar em conjunto com seus fornecedores para aumentar o espaço disponível para as aves, melhorar o ambiente nos aviários e adotar práticas mais humanas de manejo das aves no abate e processamento. (Não é o primeiro passo da Starbucks na área do bem-estar animal: a empresa já vem assumindo, desde 2008, diversos compromissos para adquirir ovos e carne de fornecedores que assegurem um manejo humanizado dos animais.)

O bem-estar animal é, como se vê, uma tendência que vem se fortalecendo no mercado. Que 2017 siga com mais notícias como essas.


Veja também:

Ebook sobre certificação de bem-estar animal

Faça seu comentário