Ao longo de 2017, publicamos aqui no blog três ebooks que trazem as respostas para as principais perguntas e para que você saiba tudo sobre bem-estar animal.

Empresas e criadores têm dúvidas sobre a certificação de bem-estar animal. Juntos, eles formam uma espécie de guia sobre os primeiros passos para se obter o selo Certified Humane. Baixe os materiais, e saiba tudo sobre bem-estar animal para o futuro dos seus negócios. Eis a seguir um resumo do que há em cada um dos ebooks e os links para ter acesso às versões completas.

Certificação de bem-estar animal é acessível

como obter o selo de bem-estar animalSe você é um criador de animais, atua numa indústria de alimentos ou é dono de um restaurante ou lanchonete, pode ter certeza: não existe nada que o impeça de obter o selo Certified Humane. É o que mostramos no primeiro ebook publicado em 2017: Como obter o selo de bem-estar animal e impulsionar o seu negócio. Podem pleitear a certificação as empresas e produtores que criem ou utilizem ingredientes produzidos a partir das seguintes espécies: bovinos de corte e leiteiros, suínos, ovinos, frangos de corte e galinhas poedeiras, perus, cabras, vitelos e bisontes.

O primeiro passo para se certificar é assumir um compromisso irrevogável com a qualidade de vida e com o conforto dos animais que fazem parte da sua cadeia de produção – seja na sua propriedade ou com os fornecedores que o abastecem de carne, leite e ovos. O processo de certificação não tem nada de complicado: o interessado deve solicitar uma inspeção inicial (pela qual há uma tarifa a ser paga) e se submeter à avaliação dos inspetores, que vão averiguar se as normas de bem-estar animal prescritas pelo Instituto Certified Humane são aplicadas. Uma vez concedido o selo, a inspeção deve ser renovada anualmente.

Não há grandes impedimentos financeiros para se obter o selo Certified Humane de bem-estar animal. Os custos da certificação adaptam-se a qualquer tipo de propriedade ou empresas, seja um pequeno sítio, uma grande fazenda, uma cadeia de restaurantes, uma indústria familiar ou um grande conglomerado empresarial. Na prática, o investimento por animal acaba pesando pouco nos custos totais da produção. Mas a certificação pode dar um enorme impulso para os negócios, abrindo mercados e atraindo consumidores. Foi justamente esse o tema do nosso segundo ebook.

Abra os horizontes para uma empresa, sítio ou fazenda

O bem-estar animal compensaNo segundo ebook, procuramos mostrar tudo sobre bem-estar animal e quais as vantagens que um criador ou uma empresa podem obter ao conquistar o selo Certified Humane. Quem o faz consegue, antes de mais nada, assegurar para o mercado e para os consumidores o firme compromisso com o bem-estar das criaturas que dão origem à carne, ao leite e aos ovos que nos alimentam no dia a dia. O ebook O bem-estar animal compensa explica uma série de benefícios que vem junto com o selo. O primeiro deles é o ganho de produtividade. Uma série de estudos mostra que cuidar do conforto dos animais tornam-se mais eficientes. Aves, bovinos, suínos e outras espécies criadas nas fazendas ficam mais tranquilas quando há capricho cuidado com seu conforto e qualidade de vida. Assim, há menos brigas por água, alimento e espaço, evitando ferimentos, mortes e despesas para tratamento veterinário.

Cuidar bem dos animais, em outras palavras, ajuda a produzir mais. Não só isso: contribui para melhorar a qualidade do que é produzido. Existem pesquisas demonstrando que leite e carne de animais criados de acordo com as boas práticas de bem-estar resulta em alimentos de melhor qualidade, com sabor e textura que os consumidores consideram mais agradáveis ao paladar.

São os consumidores, antes de mais nadas, que impulsionam a adoção de boas práticas de bem-estar animal. Tanto no Brasil quanto no exterior, é crescente a preocupação do público com os métodos utilizados na produção dos alimentos. Há cada vez mais pessoas buscando garantir que os alimentos que consomem não foram produzidos às custas de maus tratos, de sofrimento e de crueldade de outras criaturas. Uma certificação como o selo Certified Humane é uma forma de assegurar a todos que as melhores práticas estão sendo adotadas – e que isso foi constatado por uma instituição independente. Esse é um caminho para evitar os graves danos de imagem e reputação a que hoje empresas e criadores estão sujeitos. Nesses tempos em que a informação circula com máxima velocidade e em que tudo e todos estão hiperconectados, um negócio que fique conhecido pelos maus tratos aos animais pode ter prejuízos incalculáveis.

Deixe de lado os mitos e se concentre no que é fato: seu negócio pode ser certificado

Certificação de bem-estar animal: mitos e fatosSe há tantas vantagens, por que então muitas empresas e criadores deixam de correr atrás da certificação. Provavelmente, ainda há por aí quem se deixe levar por alguns mitos que não fazem nenhum sentido. Derrubá-los e mostrar a verdade foi o tema do nosso terceiro ebook: Certificação de bem-estar animal: esqueça os mitos e conheça os fatos. Nele, reafirmamos que não há propriedade ou empresa nem muito grande nem muito pequena que não possa obter o selo Certified Humane. Explicamos mais uma vez que o processo de certificação é simples e não tem nada de complexo. E insistimos que os custos envolvidos são acessíveis para quase todas as empresas.

É por isso que desde que o programa nasceu, em 2003, mais de 515 milhões de animais foram criados em fazendas e granjas certificadas com o selo, assegurando tudo sobre bem-estar animal o respeito às necessidades de cada espécie. Hoje, o selo certifica 166 empresas e 5.600 fazendas e granjas nos Estados Unidos, Canadá, Chile, Peru e, é claro, Brasil. Já existem por aqui produtores de leite, aves e ovos que se submetem a inspeções periódicas para ter o direito de estampar o selo Certified Humane. Também há produtores de ovos certificados no Chile e no Peru. Conclusão: se você está interessado em obter o selo Certified Humane, não se deixe levar pelos mitos. O futuro de seu negócio pode depender disso.

 

Faça seu comentário