Na metade de 2016, o britânico Jamie Oliver anunciou ter fechado um acordo para pôr seu nome numa linha de pratos prontos da Sadia. Foi, para muitas pessoas, uma surpresa.

Nos últimos anos, Oliver se tornou um chef-celebridade defendendo o que ficou conhecido como “Food revolution”. Trata-se de um movimento para convencer as pessoas a usar ingredientes saudáveis, aprender a preparar a própria comida e a conscientizar empresas e consumidores para a necessidade de criar em ambientes confortáveis e sem estresse os animais que nos fornecem carne, leite e ovos.

Com essas bandeiras e um jeitão hiperativo, Oliver estrelou programas de culinária bem diferentes dos tradicionais, percorrendo refeitórios de escolas públicas, restaurantes e cozinhas para denunciar os enlatados, o excesso de ingredientes artificiais e os maus tratos na criação de bois, aves e suínos.

Antes de tudo, o mais importante: o conforto das galinhas.

Uma das principais exigências de Oliver no acordo com a Sadia é que as aves utilizadas nos pratos da nova linha devem ser criadas segundo regras rigorosíssimas de bem-estar animal. Não pode haver superpopulação nos aviários, por exemplo, para não deixar as aves estressadas — submetidas a um confinamento com pouco espaço, elas tendem a brigar entre si, ferindo-se e aumentando a mortalidade. A temperatura ambiente, a quantidade de água disponível e a alimentação têm de ser adequadas, para evitar desconforto, sede, fome, dor e sofrimento. Os criadores não podem submeter as aves a práticas cruéis, mas comuns em muitas criações, como o corte dos bicos.

O nosso papel: assegurar o cumprimento dos padrões de bem-estar animal nas granjas envolvidas na produção da linha Sadia/Jamie Oliver

Não basta só prometer: as 32 granjas onde são criadas as aves cuja carne vai se tornar ingrediente dos pratos concebidos por Jamie Oliver para a Sadia tiveram de se adaptar para receber o selo Certified Humane, um certificado de boas práticas de bem-estar animal. É aí que entra o trabalho do Instituto Certified Humane Brasil. O processo de inspeção e certificação garante que tudo seja feito dentro dos padrões corretos para o bem-estar animal. O Selo Certified Humane assegura que aves, suínos, bovinos, ovinos e outras espécies de animais são criados em ambientes saudáveis e com qualidade de vida. As empresas de alimentos e granjas certificadas precisam garantir, entre outros aspectos, uma dieta nutritiva livre de antibióticos e hormônios e abrigo adequado aos animais, além de áreas para descanso e espaço suficiente.

As granjas onde são criados os frangos abatidos para fornecer a carne utilizada nos pratos da linha Sadia e Jamie Oliver são fiscalizadas periodicamente e têm sua operação monitorada o tempo todo. Em caso de irregularidades, elas podem perder o selo de certificação. Em resumo, na prática o acordo garante vida boa para aproximadamente 40 milhões de frangos. (Veja acima um vídeo sobre a parceria Sadia e Jamie Oliver com a participação do chef britânico)

Um ponto sempre enfatizado por Jamie Oliver em suas declarações sobre o acordo é que, sem atrair as grandes empresas do setor para a causa, será difícil promover a alimentação saudável e o bem-estar animal em grande escala.

Os produtos da linha Sadia e Jamie Oliver chegaram ao varejo em meados de outubro. É mais um sinal de que a mudança já começou.

Faça seu comentário