É fato que animais de produção bem tratados dão origem a proteínas de qualidade superior. Uma pesquisa realizada pela World Animal Protection confirma que 91% dos consumidores concordam com este fato.

Cerca de nove entre dez brasileiros acreditam que um sistema de criação com bem-estar para os animais de produção gera uma carne diferenciada. A ciência, por sua vez, também já provou que eles sentem dor, sofrem e são capazes de se relacionar socialmente. Mas então, por que os animais de produção ainda são maltratados?

Explicação histórica

Todos sabem que eles são seres tão complexos quanto nós. Só que isso é, muitas vezes, ignorado. E os animais de produção são tratados como seres inanimados. Os animais de produção e também os pets são considerados posse dos seres humanos. Essa ideia, que está convencionada há séculos, dá a noção de que o homo sapiens é uma espécie superior e que os seres diferentes dos homens não teriam os mesmos direitos. É o que os cientistas chamam de especismo.

Bem-estar x produtividade

A luta pelo bem-estar dos animais ultrapassa as questões de princípios ou ética. O ser humano sempre comeu carne e vai continuar comendo. Mas tratá-los com frieza, desrespeito e causando dor e sofrimento é abominável. Além disso, o tipo de criação dos animais de produção tem relação direta com a qualidade do que o produtor vai entregar lá para o consumidor.  

O estresse que os animais de produção, como suínos e bovinos, passam nos momentos que antecedem o abate pode resultar emAnimais de produção criados com bem-estar animal características nada agradáveis para o consumo. A carne pode ficar mais fibrosa e dura, com uma coloração mais escura e textura menos palatável. Outro ponto é que os animais de produção, por ter pouco espaço, comida ou água, briguem entre si. Isso causa ferimentos que podem tirá-los da produção, fazê-los perder peso ou resultar em cicatrizes que levarão à perda da carne na hora do abate.

É possível comer carne ou derivados de animais que não tenham sido maltratados desde o nascimento até o abate. As granjas e fazendas que assumem o compromisso com o bem-estar animal estão fazendo o bem para estes, para os consumidores e para o meio ambiente.

Você, consumidor, prefira alimentos originados por animais de produção criados com bem-estar. E você, produtor, adote o sistema de criação humanizada, com manejo responsável e provendo uma vida digna aos animais.

Faça seu comentário