A Fazenda da Toca é a mais nova empresa reconhecida pela Certified Humane Brasil. A propriedade, localizada em Itirapina – a 200km de São Paulo –, é a maior produtora de ovo caipira orgânico do país e a primeira a receber a certificação de ovo caipira pela instituição, que passou a oferecer esta modalidade do selo no final do ano passado.

A produção de ovo caipira orgânico em grande quantidade, como na Fazenda da Toca, vai ao encontro da crescente demanda por esse produto pelos consumidores brasileiros, que já o reconhecem como superior em comparação aos produzidos em granjas industriais. Porém, a produção deste segmento ainda é pequena por aqui.

Na França, por exemplo, a criação caipira passou a alcançar cerca de 30% do mercado interno desde a regulamentação. No Brasil, a produção desses ovos ganhou normas específicas no final de 2016 – o manual é o resultado do trabalho de diversas entidades ligadas ao setor para barrar o uso desenfreado da expressão “ovo caipira”, muito comum nos supermercados, mas sem nenhuma garantia de origem.

Muitas destas regras já eram implementadas pela Certified Humane. A norma técnica ABNT NBR 16437, no entanto, não tem força de lei, sendo apenas um guia para os produtores. Entretanto, todos os ovos com a referência ao sistema caipira que tenham o selo Certified Humane são originários de granjas que cumprem integralmente a norma da ABNT.  

A Fazenda da Toca Orgânicos, que foi fundada em 2009, surgiu com a ideia de produção de alimentos orgânicos em grande escala. Hoje, mantém aves da raça Lohmann Brown distribuídas em um complexo de aviários. Os ovos estão presentes em mais de 500 pontos de venda. O produto é comercializado com a marca da Fazenda da Toca e também vendido para marcas próprias de redes supermercadistas, como Taeq (Pão de Açúcar) e Sentir Bem (Walmart), além da Mantiqueira.

Fazenda da Toca

galinhas poedeiras: Fazenda da TocaA certificação de ovo caipira, oferecida pela Certified Humane desde o final do ano passado, é uma forma de o consumidor ter a certeza de que o produto que está consumindo é proveniente, de fato, de um sistema de produção caipira. Para obter e manter o selo, os produtores devem atender algumas exigências adicionais na criação de galinhas poedeiras com respeito ao bem-estar animal.

Assim como prevê a certificação de ovo caipira da Certified Humane, lá na Fazenda da Toca o manejo das galinhas é levado muito a sério. “O cuidado com os animais é primordial, o ovo é consequência”, afirma Rodrigo Cobrelo, coordenador de produção de ovos. As aves são criadas livres de gaiolas e têm acesso às áreas externas, com espaço para ciscar, caminhar e correr. A área interna conta com duas linhas de fornecimento de água, poleiros, ventilação e casinhas para postura, protegendo-as das condições desfavoráveis do clima e de predadores.

Além disso, as galinhas só comem ração orgânica, produzida no próprio local. Quando necessário, a medicação é feita com homeopatia e produtos e fitoterápicos. Mais do que oferecer ovos orgânicos caipiras, a Fazenda da Toca difunde um modelo de vida mais sustentável e respeitoso com a natureza e os animais.

A certificação

O mercado ainda entende que a coloração mais avermelhada da casca e da gema definem o ovo caipira. Mas não é bem assim. Para receber o selo, as galinhas produtoras precisam ter acesso à área externa, o chamado piquete (free range), que deve ter espaço equivalente a 0,5 m² por ave. Os galpões servem para abrigá-las, sendo os locais onde realizam atividades de postura, com conforto e bem-estar. No piso, maravalha, pó de pinus ou casca de arroz são as coberturas adequadas.

O espaço mínimo disponível nestes locais deve ser de 1 m² para 7 aves, mas com a certificação orgânica esta densidade é ainda menor, de 1m² para 6 aves. Além disso, são necessários 15 centímetros de espaço no poleiro para cada ave nos galpões de postura, o que não é uma exigência nem do sistema caipira, nem do sistema orgânico, mas item obrigatório das normas Certified Humane.

Quanto à comida, a ração não pode conter corantes sintéticos ou óleo vegetal reciclado em sua composição. Antibióticos e outros medicamentos para prevenção são vetados, podendo ser utilizados somente sob prescrição de um profissional. Outro item importante é a debicagem, que é proibida. O que é permitido é o aparo do bico, desde que feito nas galinhas antes dos 10 dias de idade (mas essa prática não é utilizada na Fazenda da Toca). Além dessas, há outras restrições adicionais impostas pelo regulamento orgânico brasileiro.

Faça seu comentário