Um elemento fundamental para os humanos, animais, para produção de bens e indústria. A água é essencial para que haja vida e transformação. A importância desta matéria natural é tamanha que ‘estar livre de fome e sede’ é a primeira das Cinco Liberdades dos Animais. Para promover uma reflexão sobre este mineral vital, a ONU (Organização das Nações Unidas) definiu a data 22 de março como o Dia Mundial da Água.

O estímulo da ONU é refletir sobre a preservação do recurso e fazer com que haja um consumo proporcional, além de um planejamento entre áreas onde a água é abundante com os lugares em que há escassez. No Dia Mundial da Água as discussões são inúmeras e percebemos que os investimentos precisam estar relacionados com a importância e disponibilidade do recurso, além de haver incentivo para que seja bem gerido.

Apesar de a agropecuária ser um dos setores que mais consomem água – são 91,5 litros para cada real produzido – é preciso levar em conta que os animais não devem ser privados deste bem essencial. Esta discussão vem ganhando espaço desde a década de 60, quando foi um marco para o bem-estar dos animais o lançamento do livro Animal Machines, na Inglaterra, da jornalista e veterinária Ruth Harrison.

Na obra a autora tenta assegurar concretamente a qualidade de vida dos animais e o primeiro item faz relação com a água. Sabemos que os animais têm sentimentos, sentem dor e prazer, mas o mínimo é oferecer uma vida com base nas cinco liberdades dos animais e afastar deles as ameaças à qualidade de vida.

Nesta época em todos os olhares se voltam ao Dia Mundial da Água, é necessário lembrar que este mineral corresponde de 50% a 80% do peso de um ser vivo. Por constituir a maior parte do corpo de um animal, a quantidade e qualidade da água é fundamental para o desempenho produtivo. Além do mais, é essencial que a água esteja limpa, sem cheiro, sem cor e seja abundante.

Vale lembrar que a quantidade de água diária que deve ser oferecida aos animais depende de diversos fatores, como temperatura, peso, idade e a fase da vida do animal. O consumo inadequado pode afetar a performance e o bem-estar deles. Para fazer uma referência do Dia Mundial da Água, vamos recordar e colocar em prática as cinco liberdades em prol do bem-estar dos animais:

1.Estar livre de fome e sede

Os animais devem ter acesso a água e alimento adequados para manter sua saúde e vigor.

2.Estar livre de desconforto

O ambiente em que eles vivem deve ser adequado a cada espécie, com condições de abrigo e descanso adequados.

3.Estar livre de dor doença e injúria

Os responsáveis pela criação devem garantir prevenção, rápido diagnóstico e tratamento adequado aos animais.

4.Ter liberdade para expressar os comportamentos naturais da espécie 

Os animais devem ter a liberdade para se comportar naturalmente, o que exige espaço suficiente, instalações adequadas e a companhia da sua própria espécie.

5.Estar livre de medo e de estresse

Não é só o sofrimento físico que precisa ser evitado. Os animais também não devem ser submetidos a condições que os levem ao sofrimento mental, para que não fiquem assustados ou estressados, por exemplo.

 

Faça seu comentário