Os frigoríficos brasileiros produzem a cada ano cerca de 13 milhões de toneladas de carne de frango. Infelizmente, o bem-estar animal para frangos de corte nessa cadeia industrial não é levado em consideração.

Em produção no mundo somos superados apenas pelos Estados Unidos, onde aproximadamente 17 milhões de toneladas do produto saem dos frigoríficos a cada ano. Ainda é comum encontrar aviários superpovoados, desconfortáveis e estressantes. As regras a que se submetem os criadores certificados pelo selo Certified Humane tem como objetivo eliminar os problemas que degradam a qualidade de vida desses animais. Veja a seguir oito aspectos das normas de bem-estar animal para frangos de corte.

1. Alimentos: nutritivos e na medida certa

As normas para alimentação determinam que os frangos de corte devem ter alimentos disponíveis numa quantidade adequada, satisfazendo suas necessidades nutricionais. Mas é importante que a dieta seja controlada, para evitar que as aves ganhem peso demais – isso pode causar problemas de locomoção e anomalias nas pernas. A ração não pode conter proteína derivada de mamíferos e aves (com exceção de ovos). Também é proibido acrescentar antibióticos aos alimentos para acelerar o crescimento. Os comedouros têm de permanecer limpos, secos e bem conservados, em número suficiente para que os frangos não briguem entre si pelo acesso ao alimento. A comida tem de estar por perto: as aves não devem ter de caminhar mais de quatro metros para chegar até a comida.

2. Água: abundante, fresca e sem derramamento

É preciso fornecer água potável, limpa e fresca o tempo todo. As normas de bem-estar animal para frangos de corte prevêem um número mínimo de bebedouros, a depender do modelo utilizado: 1 para cada 100 frangos, se for do tipo pendular; 1 para cada 20 frangos, se for do modelo nipple, ou 1 para cada 28 frangos, se o bebedouro for do tipo taça. Esses equipamentos precisam estar numa altura adequada para o tamanho e a idade das aves. É importante garantir que a água não vaze para que as camas das aves não fiquem molhadas.

3. Instalações: confortáveis, para que as aves possam expressar seu comportamento natural

bem-estar animal para frangos de corteOs aviários devem ser projetados de modo a proporcionar conforto para os frangos – seja do ponto de vista físico ou psicológico. As aves devem ter condições de expressar seus comportamentos naturais, de modo a evitar situações de estresse. Isso envolve o enriquecimento do ambiente. Recomenda-se, por exemplo, a instalação de poleiros apropriados ao tamanho e peso das aves. As aves não podem entrar em contato com substância tóxicas e as instalações elétricas precisam ser seguras e protegidas, para evitar riscos de choques e acidentes com eletricidade. Os aviários devem proporcionar às aves espaço para que tenham liberdade de movimento suficiente – todas devem conseguir permanecer em pé normalmente, se virar e esticar as asas sem dificuldade. O cálculo do número de aves que pode ser alojado no ambiente leva em consideração o peso. As normas determinam que não haja mais do que 30 quilos por metro quadrado.

4. Pisos e camas: fáceis de limpar e livres de contaminação

As normas de bem-estar animal para frangos de corte determinam que pisos de concreto, mais fáceis de limpar, são melhores do que os de chão batido. Um ponto a se destacar: é proibido alojar os frangos em gaiolas ou instalações cujo piso seja feito de arames ou ripas. Os produtores devem prestar especial atenção à qualidade das camas. Elas podem ser enriquecidas com grãos e palhas curtas ou com material comestível – isso estimula os frangos a ciscar e bicar, prevenindo o crescimento excessivo de bicos e unhas. É fundamental que o material da cama seja limpa, seca, à prova de pó e absorvente – e substituída sempre que estiver úmida ou contaminada. Umidade e sujeira podem causar queimaduras nos joelhos e nas patas das aves. Essas lesões causam dor, abrem ferimentos que servem como portas de entrada para infecções e dificultam a movimentação dos frangos.

5. Iluminação: luz e sombra na medida adequada para o descanso das aves

A iluminação dos aviários tem um peso importante na qualidade de vida das aves. Luz em excesso impede que elas durmam adequadamente, causando cansaço e estresse. Por isso, as normas prescrevem que a cada 24 horas os frangos precisam ter no mínimo 8 horas de luz (seja artificial ou natural) e no mínimo 6 horas de escuridão – exceto quando o período natural sem luz for menor do que isso, o que ocorre em determinadas regiões durante os meses do verão.

6. Temperatura: sem variações bruscas e a ventilação tem de assegurar baixa concentração de contaminantes

Eis uma questão crítica para o bem estar dos frangos: eles precisam que a temperatura corporal esteja em torno de 41° C. Um aumento de 4 ou 5° C na temperatura corporal causará a morte das aves. Por isso é fundamental que o controle térmico seja adequado. As instalações devem minimizar os riscos de superaquecimento. Os aviários construídos depois de 2006 devem ter um sistema de resfriamento evaporativo.

7. Qualidade do ar: livre de contaminantes

As normas de bem-estar determinam quais as condições adequadas à qualidade do ar. Assim, o ambiente precisa contar com um sistema de ventilação capaz de manter a concentração de amônia, dióxido e monóxido de carbono e de pó em níveis adequados.

8. Acesso à pasto (free-range): não é obrigatório, mas se existir, deve ser protegido e bem manejado

manejo com bem-estar animal para frangos de corteAs normas de bem-estar animal para frangos de corte não exigem o acesso à área externa. Mas, se esse for o caso, alguns padrões devem ser seguidos. A área a que as aves terão acesso deve ser constituída principalmente de vegetação – mas é preciso que elas tenham acesso também à brita ou areia grossa para facilitar a digestão. O espaço mínimo da área externa é de 1 hectare para cada 1000 aves. O espaço não deve ser alagado, desgastado ou degradado, e área de repouso precisa ser bem drenada. Frangos criados nesse sistema devem ter acesso a área externa a partir de 4 semanas de idade e por no mínimo 8 horas todos os dias, exceto quando o período de luz natural for inferior. Nos meses quentes, deve-se assegurar uma área com sombra cujo espaço seja suficiente para que as aves não tenham que se amontoar.

Esses são apenas alguns dentre os principais itens prescritos pelas normas de bem-estar animal para a criação de frangos de corte. Eles ajudam aos consumidores a ter uma ideia de como os produtores certificados respeitam à vida e o conforto das aves. Se você é criador, baixe o referencial completo no site do Instituto Certified Humane Brasil. Junte-se às empresas e produtores rurais que estão contribuindo para melhorar a qualidade de vida dos animais.

Faça seu comentário